Redes socias

Brasil Multi Vídeos

Brasil Multi Vídeos
O seu canal de entretenimento

RDS

domingo, 31 de maio de 2015

Nono dígito no celular começa a valer hoje para PE, AL, PB, RN, CE e PI


Do G1 Caruaru e Região.


Google


   As ligações para celulares de Pernambuco (DDDs 81 e 87), Alagoas (82), Paraíba (83), Rio Grande do Norte (84), Ceará (85 e 88) e Piauí (86 e 89) terão que incluir o nono dígito a partir de hoje (31). A medida, que já vale para outros estados, consiste em digitar 9 antes dos outros oito números do telefone.

   Essa regra vale tanto para chamadas feitas a partir de telefones fixos, públicos ou privados, quanto de outros celulares, independente da operadora e do local de onde a pessoa está ligando. Também será preciso incluir o nono dígito para enviar mensagens de texto.

   Já as ligações para telefones fixos nesses estados não mudam.

   De acordo com a Anatel, haverá um período de transição, que vai até 9 de junho, em que as chamadas para os celulares daqueles cinco estados serão completadas digitando-se oito ou nove números. Entre 10 de junho e 9 de julho, quem discar apenas os oito dígitos passará a ouvir uma mensagem sobre a mudança. A partir de 10 de julho, apenas as chamadas com nono dígito serão completadas.

   No caso das mensagens de texto, o convívio duplo também acontece até 9 de julho. Depois dessa data, a ausência do nono dígito vai impedir que a pessoa receba a mensagem.

   O plano da Anatel prevê que até 2016 todos os celulares do país terão o nono dígito. Essa medida foi adotada devido à escassez da oferta de novos números em grandes centros, principalmente em São Paulo e no Rio de Janeiro, mas será estendida ao restante do Brasil para padronizar os números e evitar confusão.

   O cronograma prevê a implantação do nono dígito em Minas Gerais, Bahia e Sergipe a partir de 11 de outubro. Na última fase de implantação, no ano que vem, serão atingidos os estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Rondônia, Acre, Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, além do Distrito Federal.

   Em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Amazonas, Roraima, Amapá, Pará e Maranhão, o nono dígito já está em vigor.

sexta-feira, 29 de maio de 2015

São Bento do Una, Sanharó, Tacaimbó e Belo Jardim têm novo racionamento


Do G1 Caruaru e Região.



   Belo Jardim, Sanharó, Tacaimbó e São Bento do Una também terão um novo calendário de racionamento de água. A assessoria de imprensa da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) informou que a medida começa a valer a partir de 1º de junho. Estes municípios do Agreste pernambucano são abastecidos pelas barragens do Bitury e Pedro Moura Júnior - que estão com 8% e 9% da capacidade, respectivamente.

   De acordo com a assessoria da companhia, o racionamento tem como objetivo "preservar os mananciais e evitar o colapso do abastecimento, caso  persista a falta de chuvas na região". No novo calendário, Belo Jardim passarará de três dias com água e 11 sem para três dias com e 20 sem; São Bento do Una sairá de três dias com e 21 sem para três com e 24 dias sem água. Tacaimbó, por sua vez, terá dois dias com água e 20 sem. Já Sanharó terá três com e 24 sem, no lugar dos três com e 11 sem água.


Veja a tabela com o novo cronograma da Compesa:



Entenda o caso


   O primeiro cronograma foi divulgado como uma ação protetiva para a Barragem de Jucazinho, uma das que abastecem os municípios relacionados, a fim de que não entre em colapso. O reservatório possui capacidade para 327 milhões de metros cúbidos de água. Em abril do ano passado, estava com 30% disto e, no fim de abril, abrigava pouco mais de 25,7 milhões - isto é, 7,8%. Diante da realidade, segundo a assessoria de imprensa da Compesa, foi feito planejamento com base em dados da Agência de Águas e Clima (Apac), que prevê preciptação abaixo ou na média para este inverno. O racionamento teve início em 1º de maio e deve continuar pelos próximos quatro meses.

   O problema é tamanho que até a vazão da água será diminuída. "Decidimos ser transparentes, avisar à população sobre a gravidade da situação e ao mesmo tempo pedir o seu apoio para a necessidade do uso racional da água", declarou Roberto Tavares, presidente da Compesa, por meio da assessoria de imprensa.


Variação entre municípios


   Santa Cruz do Capibaribe é o município mais afestado: já recebe água em dois dias e tem o intervalo de 28 dias sem. A assessoria da Compesa, no entanto, comunica que este caso é diferente: o reservatório de Poço Fundo, destinado ao abastecimento local, era pequeno e secou, mesmo com racionamento. A medida adotada é a de levar para lá a água de Jucazinho, situado em Surubim, a mais de 60km. O departamento ainda comunica que existe a intenção de diminuir o tempo de espera para 15 dias.

   Ainda entre os maiores intervalos, há os destinados a Toritama (dois dias com e 12 sem serviço), Gravatá e Bezerros (ambos: dois com e 10 sem). Isso enquanto um terço dos municípios terá três com e seis sem. Já na cidade Caruaru o abastecimento ocorrerá de forma difereciada entre os bairros: 60% deles ficarão quatro dias com água e três sem, enquanto 40% terão fornecimento em três dias e estarão quatro sem. A companhia explicou ao site de noticias G1 que tais diferenças no fornecimento ocorrem devido a vários fatores, como o tipo da de rede distribuição e a topografia.