Redes socias

Brasil Multi Vídeos

Brasil Multi Vídeos
O seu canal de entretenimento

RDS

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Prefeita de São José da Coroa Grande consegue liminar



   Após ser afastada, na manhã nesta terça-feira (23/12), a prefeita de São José da Coroa Grande, Elianai Buarque (PDT), conseguiu uma liminar na justiça para retornar ao cargo. A decisão, no entanto, não contempla os parentes da prefeita que também foram afastados por ocuparem postos na administração pública.

   O presidente do PT do município, Salomão Barros, ficou surpreso com a rapidez com que ela conseguiu a liminar. “A vice-prefeita (Eliete Maria – PTB) recebeu a decisão de assumir a prefeitura de manhã. Quando o oficial de justiça foi na prefeitura, tava tudo fechado. Eles sumiram para entrar logo com o recurso na Justiça”, explicou. O PT, que foi responsável pela representação de várias denúncias contra a prefeita, irá ingressar com um novo pedido de afastamento no Ministério Público, ainda nesta terça.

   A prefeita também é investigada por desvio de dinheiro público. “Entramos com uma representação no Ministério Público para obter informações com relação às despesas da prefeitura, como coleta de lixo e gastos com banda. Pedimos transparência nas contas. Ela abriu um site da transparência, mas se negaram a prestar informações concretas”, ressaltou Salomão Barros.

   Elianai Buarque foi investigada pelo Ministério Público de Pernambuco por nepotismo. Ela é esposa do ex-prefeito de Barreiros, João Baleia (PDT). Enquadrado na Lei da Ficha Limpa, Baleia não pôde disputar a prefeitura de São José da Coroa Grande em 2012. Por isso, indicou a esposa como candidata e assumiu a secretaria de governo logo no início do mandato. Ao todo, 13 parentes da prefeita ocupavam cargos na gestão e foram afastados.

   De acordo com o promotor de justiça do município, Marcelo Greenhalgh, há evidências de grave prática de nepotismo em São José da Coroa Grande por parte da prefeita Elianai Buarque. “Ela tornou a coisa pública em praticamente um negócio de família, o que se afigura inadmissível perante o estado Democrático de Direito que vigora no País”, afirmou.


Fonte: Blog do Magno Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário