Líder do DEM acredita que decisão de Supremo pode agravar impasse institucional



   Para o líder do Democratas na Câmara, deputado Mendonça Filho, a decisão do Supremo Tribunal Federal deve ser respeitada, mas pode agravar o impasse institucional e expõe ainda mais a fraqueza do Governo Dilma/PT. “Um governo falido politica, econômica, eticamente e sem maioria para inviabilizar um processo de impeachment é um governo que se sustenta no Supremo, como uma muleta”, avaliou Mendonça, ao comentar a deliberação do STF sobre o rido do impeachment. .

   Segundo Mendonça, o Supremo tem que harmonizar os conflitos e essa decisão vai agravar a paralisia do País e alongar a crise. “Isso coloca a Casa do Povo em conflito com o Senado, que representa a Federação”, afirmou, ressaltando que os pontos votados pela corte interferem no funcionamento da Câmara e podem sim atrasar a solução da crise política.

   “Com todo respeito aos ministros, ser contra o voto secreto é deixar que o Governo tutele os deputados. Outro ponto é a eleição da comissão. Eleição com chapa única é referendo e pode parar o plenário por meses até a escolha de uma comissão”, comentou. Mendonça Filho, no entanto, considera a decisão mais importante para o agravamento da crise institucional, a que estabelece que o voto de 2/3 da Câmara deve ser referendado por uma maioria simples no Senado, com voto de 22 senadores.

   Nesta sexta (18/12), o Líder do Democratas apresentou à Câmara um projeto de resolução que altera o regimento da Casa, permitindo que também possam ser indicados candidatos avulsos para as comissões especiais da Câmara. Com a alteração do regimento, estará “sanada” uma das lacunas apontadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento do rito do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff/PT.




Assessoria de Comunicação
Rochelly Pinho







Tecnologia do Blogger.