Redes socias

Brasil Multi Vídeos

Brasil Multi Vídeos
O seu canal de entretenimento

RDS

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Espaço Nossa Casa discuti educação para pessoa com deficiência

Espaço é o primeiro em Recife a atender jovens, crianças e adultos com base na Educação Terapêutica e Terapia Social, uma abordagem fundamentada na Antroposofia.



   Com o intuito de apoiar o desenvolvimento de pessoas com deficiência e vulneráveis socialmente, o Espaço Nossa Casa foi inaugurado em janeiro deste ano em Casa Amarela, na Zona Norte do Recife e abre as portas para a população nos dias 16 e 17 de agosto.

   No evento, gratuito, haverá rodas de conversa, palestra, visita guiada e exposição de trabalhos das crianças, jovens e adultos que frequentam o espaço, o primeiro na cidade a realizar atendimentos fundamentados na Educação Terapêutica, uma abordagem antroposófica, idealizada pelo filósofo austríaco Rudolf Steiner, que reúne saúde, psicologia e educação.

    "Nossa meta não é buscar adequação das pessoas às formas exigidas pela sociedade que tem uma lógica de produção específica. Mas, apoiar cada um a ser quem é, a ganhar autonomia e se expressar por meio da arte, movimento, música e terapias. Oferecer caminhos para uma vida bem vivida", explica Simone Carvalho, educadora terapeuta, fundadora e coordenadora do espaço.

   Desenvolvido com o apoio da comunidade local, o funcionamento da casa foge da lógica comercial. “Temos o impulso de atender a todos que precisem. Então, estabelecemos trocas com os pacientes de acordo com suas possibilidades”, continua Simone.

   O Nossa Casa conta com uma equipe multidisciplinar e recebe crianças a partir dos 3 anos de idade, além de jovens e adultos, especialmente em situação de vulnerabilidade e risco social. Tem capacidade para atender cerca de 150 pessoas (em horários e turnos alternados, de segunda a sábado).

   Há profissionais das áreas de homeopatia, medicina, psicologia, terapia floral, fonoaudiologia, pedagogia, psicopedagogia. Há também diversas atividades artísticas, como modelagem em argila, aquarela, desenho, euritmia, música, violão e violino, teatro, movimento e dança, culinária, além de grupos de trabalhos manuais, costura e jardinagem com mães e pais dos atendidos.


A união faz a força

   O sonho de se ter um espaço diferenciado para contribuir com a qualidade de vida de pessoas excluídas ganhou corpo por meio de muito trabalho coletivo e, principalmente, graças a decisão do professor visitante da Universidade Federal de Pernambuco, vinculado a Universidade de Nova York, David O'brien em apoiar a instituição.

   "Ao longo de 40 anos pesquisei sobre abismos sociais e estive sensível às questões humanas que envolvem as diferenças entre classes. Ao colaborar com o projeto, faço algo concreto para amenizar a angústia de viver em um mundo com tantas mazelas e alienações sociais. Faz muito mais sentido investir aqui do que gastar dinheiro comigo mesmo", argumenta o professor norte americano, Phd em psicologia, que fará a palestra "Terapia com os deficientes: Trabalhando no contexto de a cultura patológica", nos dias 16 e 17.

   O espaço também conta com o apoio pedagógico e financeiro da educadora terapeuta Lucinda Dias, que reside em São Paulo e coordena a formação em Educação Terapêutica em São Paulo - SP e o curso de Recife que iniciará em outubro deste ano.


Sobre Educação Terapêutica

Há 100 anos, com a crise do pós-guerra, o filósofo austríaco Rudolf Steiner iniciava um caminho de reflexão no que diz respeito à educação humana. Realizou uma série de conferências para um grupo de professores, a semente da chamada Pedagogia Waldorf, com impulso de contribuir para o desenvolvimento humano em suas dimensões física, emocional e espiritual. Atualmente, já existem milhares de escolas e jardins inspirados na Pedagogia Waldorf espalhados pelo mundo.

   Em 1924, Rudolf Steiner também estabeleceu as bases da Educação Terapêutica, denominada na época como Pedagogia Curativa, uma abordagem voltada às crianças com os mais diversos transtornos no desenvolvimento que valoriza a arte, o vínculo e possui um olhar atento a cada individualidade.


Marcelo Silva (Aponte Comunicação)

Nenhum comentário:

Postar um comentário