Redes socias

Brasil Multi Vídeos

Brasil Multi Vídeos
O seu canal de entretenimento

RDS

segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Campanha Outubro Rosa alerta para a importância da mamografia no diagnóstico precoce do câncer de mama

A campanha será lançada nessa terça-feira (1º/10), às 8h, no HCP


Camyla Nóbrega - Assessoria de Imprensa do HCP


   O diagnóstico precoce é fator primordial para o sucesso no tratamento de qualquer tipo de câncer. A campanha Outubro Rosa, já conhecida mundialmente, busca trazer esse alerta – a importância da detecção da doença no estágio inicial. Referência no tratamento de pacientes oncológicos no estado, o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) lança, nesta terça dia 1º de outubro, a campanha “O câncer de mama não espera para depois. Faça sua mamografia”. Na abertura da campanha, a Rede Feminina de Combate ao Câncer, grupo voluntário que atua no HCP, realiza um grande ato de conscientização – “Outubro Rosa. Eu escolho a vida”, em frente à instituição, a partir das 8h. Cerca de 50 pessoas farão panfletagem e conversa sobre prevenção, além da distribuição de laços rosa. Na parte interna, um grupo de beleza fará maquiagem, unha e cabelo de pacientes e acompanhantes. 

   Dentro da missão de trabalhar apoiando programas de prevenção de câncer, o HCP faz mamografia durante todo o ano. “O Outubro Rosa serve como alerta para que a mulher se conscientize da importância da mamografia. Estamos trabalhando com o agendamento do exame diariamente. É muito importante que a mulher faça sua mamografia aqui ou em outra unidade de saúde. Quanto mais cedo for detectada a doença, maior a possibilidade de um tratamento menos invasivo e maior a chance de alcance de cura”, ressalta o superintendente geral, Hélio Fonsêca.

   De acordo com a coordenadora do serviço de mama do HCP, Dra. Denise Sobral, a realização da mamografia é  maneira de identificar a doença antes dos nódulos nos seios serem palpáveis. A médica recomenda que a mulher se submeta ao exame   anualmente a partir dos 40 anos de idade, mas em caso de histórico familiar o procedimento pode ser solicitado em idades mais jovens e em intervalos menores. “Descobrindo a doença no início, há maiores possibilidades de cura. Nessa situação, também é possível fazer uma cirurgia conservadora, onde não precisamos retirar toda a mama, mas apenas o quadrante acometido pelo tumor. A cirurgia conservadora é melhor para a paciente em termos estéticos, mas também em termos de sobrevida”, explica a coordenadora do serviço de mama do HCP, Dra. Denise Sobral. 

   O câncer de mama é um tumor maligno que se desenvolve pela multiplicação desordenada de células na região da mama. Entre os principais sintomas estão nódulo único endurecido; irritação, inchaço, dor ou vermelhidão na mama; retração da pele secreção sanguinolenta no mamilo; inchaço no braço. O tratamento varia de acordo com o tipo e o estadiamento da doença, classificado de I a IV, de acordo com as características do tumor. “O tratamento dependerá do tamanho da lesão. Entre os principais procedimentos estão utilizamos a quimioterapia, radioterapia e cirurgia. Em casos mais agressivos, se faz necessário a combinação de dois ou mais procedimentos”, completa a médica Denise Sobral. 

Câncer de mama em números Apesar de rara,  a doença pode acometer também os homens. A cada 100 mulheres com câncer, um homem terá a doença. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de mama é o segundo tipo mais frequente entre as mulheres no Brasil e no mundo, atrás apenas do câncer de pele não melanoma, e representa 28% dos casos de câncer por ano. Ainda segundo o INCA, 59.700 pessoas tiveram a doença em 2018.

Nenhum comentário:

Postar um comentário