Famílias vulneráveis de Serra Talhada são atendidas no Programa Criança Feliz

NE10 INTERIOR


Mesmo diante do cenário atual de pandemia do coronavírus (covid-19), a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Cidadania de Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco, continua trabalhando para que os serviços essenciais oferecidos à população não sejam interrompidos. Durante essa semana está sendo realizada uma capacitação para 13 orientadores sociais que foram selecionados para atuar diretamente com famílias em situação de vulnerabilidade, através do Programa Criança Feliz.

Para evitar aglomeração e contaminação, foi utilizado o espaço amplo da sala de reuniões do Centro de Referência Especializada da Assistência Social (CREAS). Além disso, o grupo de profissionais foi dividido em dois para receberem as orientações referentes à Política de Assistência Social e às visitas que serão feitas às famílias atendidas.

A capacitação está sendo realizada pela Gerente de Proteção Social Básica, que compõe o conjunto de serviços, programas, projetos e benefícios da assistência social, Elizângela Vieira, e pela coordenadora e supervisora do Programa Criança Feliz, Penha Alves.

Os orientadores sociais atuarão na territorialidade dos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) dos bairros Mutirão e Borborema. "O município de Serra Talhada aderiu ao programa pensando em contribuir para a melhoria na qualidade de vida das famílias em situação de vulnerabilidade. Os dois bairros foram selecionados por apresentarem um maior número de famílias com esse perfil, isso não significa que pessoas de outros bairros não possam ser atendidas", explicou Elizângela Vieira.


Entenda o Programa

O Programa Criança Feliz tem notoriedade nacional com impactos positivos. Seu objetivo é promover o fortalecimento de vínculos e o desenvolvimento humano a partir do apoio e do acompanhamento infantil integral na primeira infância, apoiar as gestantes e as famílias na preparação para o nascimento e nos cuidados perinatais, colaborar no exercício da parentalidade, fortalecendo os vínculos e o papel das famílias para o desempenho da função de cuidado, proteção e educação de crianças na faixa de 0 a três anos e/ou até seis anos caso a criança seja beneficiária do BPC.
Tecnologia do Blogger.