Covid-19: Pernambuco quer aumentar número de leitos pediátricos antes da volta às aulas

De acordo com o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, os leitos destinados às crianças e bebês com sintomas da Covid-19 no estado estão com taxa de ocupação em 72%. Número que precisa diminuir antes que seja divulgado o calendário de volta às aulas, previsto para o próximo mês.  

"Atualmente a ocupação média nas vagas destinadas a bebês e crianças está em 72% em UTIs, na última vez que nós vimos estavam em 90%”, disse o secretário em coletiva. “Nós estamos em contato com alguns serviços de referência pediátrica para abrir novos leitos, nos preparando para ter uma reserva para abrir na medida em que se decida - que se possa decidir-, pela retomada das atividades escolares.” 

Em coletiva concedida na última terça-feira, foi divulgado que no mês de agosto aconteceu maior procura de leitos para crianças com problemas respiratórios em Pernambuco. Segundo a secretaria de Saúde, uma das principais causas para este aumento é a volta da circulação nas ruas. O hospital com maior notificação foi o Barão de Lucena, na Zona Oeste do Recife. O estado conta com mais de 100 leitos voltados para bebês e crianças, desses 37 são para terapia intensiva.  

De acordo com o secretário, não houve novas notificações da síndrome respiratória multissistêmica pediátrica nos últimos dias. “É natural que os serviços estejam se adaptando a esse protocolo para a identificação de casos suspeitos, que devem ser notificados. Devemos lembrar que é uma condição de notificação compulsória, deverá ser notificado todo caso que preencham os critérios de ter exposição a covid-19 e tenham os sintomas que caracterizam a síndrome posteriormente”.  

André longo também afirma que a doença afeta de forma menos severa esta parcela da população. Das crianças que apresentam a Srag em Pernambuco apenas 26% testa positivo para Covid-19, enquanto proporção média em todas as idades é de 53%. “Nós estamos focados hoje em reuniões com representações com diversos serviços, inclusive teremos amanhã uma reunião com representantes da pediatria que estão preocupados com essa situação, mas devemos lembrar que é uma afecção rara que a própria doença da Covid-19 afeta crianças com menor gravidade. De todos os casos graves que tivemos em Pernambuco apenas 2,5% acometeram essa faixa etária é preciso que as pessoas tenham tranquilidade para que não se gere um pânico desnecessário.”    

Imunoglobulina

Um dos principais remédios para o tratamento da síndrome respiratória rara relacionada à Covid em crianças é a imunoglobulina humana, que está em falta no estado. “A responsabilidade pela aquisição e distribuição da imunoglobulina é do governo federal através do Ministério da Saúde, e infelizmente temos tido um fornecimento irregular desse insumo que é importante, não só para essa síndrome, mas para outras doenças também”, comentou André Longo. 

Segundo o secretário, reuniões com gestores municipais, estaduais e o ministro da Saúde estão sendo realizadas sobre o assunto, mas o estado já se adiantou quanto a aquisição do produto. “Pernambuco está mobilizado, a gente já entrou em contato com o fornecedor para a aquisição, o mais rápido possível, desse insumo. A gente espera estar, no final da semana que vem, com a aquisição de mil ampolas que normalmente é o suficiente para trinta dias”, disse. “Esperamos que o governo federal também possa cumprir sua parte e distribuir a medicação, que é a sua obrigação para as redes estaduais para que a gente tenha a recomposição do estoque, porque nunca é bom estar com o estoque baixo.”

Fonte: Diário de Pernambuco
Tecnologia do Blogger.