Paulo Câmara diz que as ações de Bolsonaro são difíceis de entender e que rederam mais mortes


Em Participação no Programa Cidade em Foco da Rede Agreste de Rádios, o governador de Pernambuco Paulo Câmara (PSB), fez um balanço de suas atuações à frente do estado diante a pandemia, criticou erros do presidente Bolsonaro e falou da sucessão de 2022.

Paulo Câmara iniciou o bate papo contando sobre as ações do estado no combate ao coronavírus. “Estamos com mais 1.600 leitos de UTI abertos no estado, são mais de 200 só no agreste, leitos que Pernambuco não tinha. Foi necessário montar toda uma rede sanitária de saúde, contratamos mais de 9 mil profissionais, preparamos nossa equipe e toda uma infraestrutura para salvar vidas. Em 2021, Pernambuco tem a segunda menor taxa de mortalidade do país. Agora estamos focados na vacinação, chegando mais vacinas distribuímos logo e orientamos que os municípios façam chegar o imunizante com rapidez a população”, disse o governador.

“O estado continua realizando obras, temos frentes de trabalhos em captação de água, saneamento básico e melhoramento de estradas, são ações fundamentais nesse momento de crise que vivemos. Estamos garantindo o segundo ano do 13º do bolsa família, repassamos 8 milhões para assistência social, postergamos pagamentos de tributos das micro e pequenas empresas e facilitamos tributos para os empreendedores. Nosso foco é ajudar a salvar vidas, garantir a assistência social e gerar emprego e renda”, pontou Paulo.

O governador criticou a forma como o presidente vem conduzindo o país nesse momento de pandemia. “O governo federal infelizmente não se preparou para vacinação e não cuidou da pandemia, isso gerou prejuízo para estados e municípios. Além disso, o presidente insiste em não realizar as boas práticas, não usa máscara, não respeita isolamento social, não diz a população que o vírus continua e que a COVID-19 continua circulando e matado muita gente. Claramente o governo federal tem sido incoerente e ao mesmo tem feito ações difíceis de serem aceitas, porque resultam em mais óbitos”, pontuou Câmara. 

Sobre a sua sucessão, Paulo Câmara disse que vai tratar de 2022 em 2022. “Vamos encarrar eleições no momento certo, faremos a nossa sucessão com uma ampla frente de forças, conversaremos com as pessoas e definiremos as nossas posições. Geraldo Júlio foi um grande prefeito, está cumprindo seu papel como secretário de Desenvolvimento Econômico, não lhe faltam credenciais para ser candidato, mas isso vai ficar para 2022. Já Zé Neto é um secretário que nos ajuda demais, tem uma capacidade de trabalho que faz diferença em todos os momentos, atrair a classe política, tem cumprindo um papel importante por um Pernambuco melhor”, destacou o socialista.    

 Paulo Câmara finalizou a entrevista contando como pretende terminar seu governo no ano que vem. “Vamos concluir esse círculo como Governador de Pernambuco realizando o que é mais importante para população, fazendo com que os serviços públicos cheguem a todos os pernambucanos”, frisou o gestor.

Por Alberes Xavier

Tecnologia do Blogger.