Redes socias

Brasil Multi Vídeos

Brasil Multi Vídeos
O seu canal de entretenimento

RDS

segunda-feira, 16 de março de 2015

Manifestantes protestam contra Dilma em todo o Brasil



Do G1.



Caminhada no Recife começou às 10h30, na Avenida Boa Viagem
(Foto: Katherine Coutinho / G1)

 
   Movimentos populares participam neste domingo (15/3), no Recife, um ato contra a corrupção, pedindo apuração rigorosa dos crimes apontados pela operação Lava Jato e também o impeachment da presidente Dilma Rousseff. A concentração começou às 8h junto à padaria Boa Viagem, na orla da zona sul recifense. De acordo com a Polícia Militar, a estimativa é de que entre 8 e 10 mil pessoas participaram da manifestação. A Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife falou em 15 mil participantes. Representantes dos movimentos Vem Pra Rua e Direita Pernambuco, presentes ao ato, estimaram em 50 mil o total de pessoas.

   Às 10h30, a caminhada começou. Os primeiros manifestantes chegaram ao ponto final do ato, no Segundo Jardim, pouco antes do meio-dia e cerca de meia hora depois o protesto tinha terminado. A Polícia Militar não registrou nenhuma ocorrência durante o ato.

   Os integrantes do "Vem para a Rua" trouxeram faixas, narizes de palhaço, cartazes e um boneco gigante representando um juiz, em alusão ao julgamento do processo da Lava Jato. "Nosso protesto hoje é contra a corrupção, a favor da ética na política e pela apuração dos crimes da Lava Jato, com punição dos culpados, independente de partido", diz um dos integrantes do Vem Pra Rua no Recife. Ele não quis se identificar para a reportagem do G1.

   O estudante de história Diego Lajedo faz parte do movimento Estado de Direito, um dos que convocou na internet o evento desta manhã. "A gente pede exclusivamente o impeachment da presidente Dilma. Acreditamos que seja possível, através do depoimento do doleiro Albert Youssef. Ela no mínimo incorreu em crime de omissão, ou seja, crime contra a administração pública. E também o crime de responsabilidade, por não indiciar as empreiteiras na lei anticorrupção, fora a compra [da refinaria] de Pasadena [EUA]", afirma Diego.

   A professora aposentada Elze Rebelo afirma que veio para a manifestação por estar cansada da corrupção. "Estou aqui por causa da falta de ética, da corrupção. As pessoas precisam lembrar que dinheiro público é dinheiro do povo", afirma Elze, que se uniu ao movimento Vem Pra Rua para o ato deste domingo.

   O administrador de empresas Hugo Lins, que apoia o movimento “Vem pra rua”, estava vendendo camisetas “Basta” na concentração do ato no Recife. Cada uma custa R$ 15. “É uma forma de ajudar a financiar o movimento. Tem os narizes de palhaço, ambulância, médico, aluguel de trio...”.

   O empresário Fernando Caldas, lider do movimento Resgata Brasil, defende a importância da investigação da operação Lava Jato. "A operação é o instrumento legal jurídico para poder pedir o impeachment. Temos um projeto de educação política no Resgata Brasil. O brasileito não tem educação política e acaba sendo enganado por marketing", diz.

   O deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB) está na manifestação. "O Brasil nunca viveu uma situação como essa. Acho que as pessoas têm que vir para a rua mesmo protestar assim, de forma pacífica. Eu mesmo não proponho o impeachment. Isso é algo que tem que vir de fora para dentro. Collor começou nas ruas", afirma Vasconcelos.

   O movimento Heróis de 1817 é outro que participa do ato deste domingo. O nome do grupo faz alusão à Revolução Pernambucana, que defendia a independência. "Estamos aqui contra os roubos, contra a corrupção e a violência. Não cabe a nós, como maçons, pedir impeachment. Queremos apenas o fim desses roubos descarados", diz Adeíldo Penha, líder do movimento.

   Na concentração, vários manifestantes carregaram cartazes e havia caixas de som que tocam músicas pedindo o impeachment. O saxofonista Roberto Silva tocou o hino nacional e também o hino de Pernambuco. Quando o sinal fechava, os manifestantes ocupavam a faixa de pedestres. Ouvem-se gritos de 'Fora Dilma'.

   Além das equipes da CTTU, soldados do 19º batalhão da Polícia Militar também trabalharam durante a manifestação. Um bloqueio foi montado na altura da Avenida Antônio Falcão, desviando o trânsito do bairro de Boa Viagem. Os carros seguiam pela Antônio Falcão somente até acessar a Conselheiro Aguiar. Os veículos também foram desviados pela contramão, na Rua Padre Bernardino Pessoa.



Manifestações no resto do Brasil


 


   Mais de 2 milhões de pessoas estiveram nos atos de ao menos 160 cidades. No Acre 5 mil pessoas participaram do movimento no centro da capital Rio Branco.












   Em Maceió (Al) 10 mil participantes, segundo a PM e organizadores, ocuparam a orla da cidade com faixas e cartazes defendendo mudanças políticas no país. Após concentração na Praça Vera Arruda, no Stella Maris, o protesto seguiu com trio elétrico, apitos e uma bandeira de 30 metros escrito "Fora Dilma" em direção ao Alagoinhas, na orla da Ponta Verde.










   Já no Amapá teve um impasse, de acordo com a PM 1.500 manifestantes compareceram as ruas de Macapá, porém os organizadores falam em 5mil pessoas no evento.







   Mais informações e todos números, você encontra nesse link:


 



Nenhum comentário:

Postar um comentário