“Pernambuco receberá novo lote de vacinas com 91.600 doses a menos do que o previsto”, diz secretário


Em coletiva, nesta quinta (22), André Longo cobrou esclarecimentos ao Ministério da Saúde. Segundo ele, problema deve adiar o término da vacinação de idosos e início da vacinação de quem tem comorbidades.

A redução dos lotes de vacinas contra a Covid-19 que vão chegar a Pernambuco, na sexta (23), deve comprometer o andamento da imunização no estado. Em pronunciamento transmitido na internet, nesta quinta (22), o secretário estadual de Saúde, André Longo, afirmou que a nova remessa tem 91.600 doses a menos do que o previsto.

O problema, segundo Longo, deve ter impacto no término da imunização de idosos e no início da vacinação de quem tem doenças pré-existentes.

A nova remessa tem 142.150 doses de vacinas. São 113.750 da Oxford/AstraZeneca e 28.400 da CoronaVac/Butantan. O estado disse que eram esperadas pelo menos 120 mil doses do segundo tipo de imunizante.

As vacinas são para pessoas a partir dos 60, trabalhadores de saúde e trabalhadores de força de segurança e salvamento. O secretário demonstrou preocupação com a quantidade e cobrou esclarecimentos do Ministério da Saúde.

“Pelos comunicados e entregas anteriores, eram esperadas ao menos 120 mil doses de CoronaVac/Butantan e estamos recebendo menos de 30 mil doses, amanhã. É um fato preocupante. Essas doses estavam reservadas para a segunda dose da população”, afirmou.

O Instituto Butantan suspendeu o envase de doses da vacina CoronaVac, após atraso na chegada de matéria-prima. O atraso prorrogou a entrega de 46 milhões de doses ao governo federal.

“Na Paraíba, a gente já tem relatos de que já está faltando a segunda dose, em João Pessoa. Isso compromete o planejamento dos estados e municípios e passa a ser um problema”, observou André Longo.

Pessoas com comorbidades

A expectativa da Secretaria Estadual de Saúde era concluir, no inicio de maio, a vacinação de pessoas a partir de 60 anos e iniciar a imunização de quem tem comorbidades, mas os prazos devem ser revistos por conta do atraso na entrega das doses de CoronaVac/Butantan.

“A gente ainda acredita que vai começar em maio, mas vamos ter que esperar a questão técnica. O compromisso de Pernambuco é terminar pessoas com 60 anos e avançar. Mas a regra-geral é que se vacine as comorbidades pelas mais frequentes e também por idade”, destacou o secretário de Saúde.

Indicadores da Covid-19 elevados

Na análise de mais uma semana epidemiológica, o secretário ressaltou que, apesar da estabilidade alcançada, Pernambuco continua com os indicadores da Covid-19 em “patamares elevados”, causando grande pressão sobre a rede de saúde.

Até esta quinta (22), foram contabilizadas 3.218 pessoas internadas com o novo coronavírus nas redes pública e privada, sendo quase 2 mil em leitos de terapia intensiva.

Pernambuco confirmou, nesta quinta-feira (22), mais 1.202 casos e 45 mortes de pacientes com a Covid-19. Com esses registros, o estado passou a totalizar 389.709 infectados pelo novo coronavírus e 13.425 óbitos devido à pandemia, contabilizados desde março de 2020.

O governo de Pernambuco decidiu liberar o comércio de praia durante o fim de semana, a partir da segunda-feira (26), e manter até o dia 9 de maio limitação de horário de funcionamento para o comércio e serviços, devido à pandemia da Covid-19.

O estado também resolveu autorizar um novo horário de funcionamento de atividades em geral nos fins de semana.

“Precisamos fazer essa retomada de forma gradual, para que a gente observe o reflexo na saúde”, destacou a secretária executiva de Desenvolvimento Econômico, Ana Paula Vilaça.

Fonte: Fala PE

Tecnologia do Blogger.