Dilma anuncia 13 novos ministros



Do G1.

   Uma confraternização no Palácio da Alvorada teve sabor de despedida para os ministros que não permanecem no segundo mandato de Dilma Rousseff. À noite, a presidente anunciou mais 13 nomes da futura equipe. O PMDB ganha mais um ministro

Serão seis:

·         Eduardo Braga: atual líder do governo no Senado e ex-governador do Amazonas. Assume o Ministério de Minas e Energia.

·         Kátia Abreu: senadora e presidente da Confederação Nacional de Agricultura, a CNA. Vai para a Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

·         Helder Barbalho: filho do senador Jáder Barbalho. Foi indicado para Pesca.

·         Vinícius Lajes: foi mantido no Ministério do Turismo.

·         Eliseu Padilha: deputado e ex-ministro dos Transportes no governo FHC. Vai para a secretaria de Aviação Civil.

·         Edinho Araújo: deputado de São Paulo. Vai para a secretaria de Portos.


Outros cinco partidos têm um ministro cada:


·         Jaques Wagner (PT): ex-governador da Bahia vai comandar a Defesa.

·         Gilberto Kassab (PSD): ex-prefeito de São Paulo vai comandar o Ministério das Cidades.

·         George Hilton (PRB): deputado de Minas Gerais vai comandar o Esporte

·         Aldo Rebelo (PC do B): ex-ministro do Esporte vai para a Ciência e Tecnologia.

·          Cid Gomes (Pros): governador do Ceará vai comandar a Educação.


Dois outros indicados têm perfil técnico:


·          Valdir Simão: atual secretário-executivo da Casa Civil. Vai para a Controladoria Geral da União.

·         Nilma Gomes: pedagoga e professora da Universidade Federal de Minas Gerais. Vai para a secretaria de Igualdade Racial.

   Contando com os nomes de Joaquim Levy, para a Fazenda, de Nelson Barbosa para o Planejamento, e de Alexandre Tombini, presidente do Banco Central que tem status de ministro e Armando Monteiro, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, ainda faltam 22 indicações.

   A presidente Dilma vai continuar a fazer as consultas nos próximos dias e pretende anunciar outros nomes logo após o Natal, no dia 26 de dezembro. A montagem da nova equipe deve estar concluída até o dia 29 de dezembro.

   Dilma está definindo a equipe mesmo sem a colaboração do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A presidente disse que iria consultar Janot sobre políticos com eventual envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras, mas o ministro da Justiça informou que o procurador não pode passar nenhuma informação para a presidente porque a investigação é sigilosa.

Tecnologia do Blogger.